Como otimizar a hospedagem do seu site (e adiar upgrades)

Como otimizar a hospedagem do seu site

Ao longo da vida de um site, provavelmente haverá oscilações na sua audiência. Em alguns casos, podem ocorrer aumentos repentinos no número de acessos em um curto espaço de tempo. Também conhecidas como “picos de tráfego”, elevações repentinas no número de acessos acontecem por diversos motivos, como por exemplo uma publicação de sucesso nas redes sociais, uma campanha nova, ofertas ligadas à datas comemorativas, entre muitas outras possíveis causas.

Se o seu site realiza vendas online ou gera receita de outras formas, como indicando serviços de terceiros e/ou através de anúncios, é fundamental que o servidor de hospedagem esteja preparado para estes picos de acesso. No pior dos cenários, uma sobrecarga pode deixar o servidor inoperante e o site fora do ar. Em cenários menos drásticos, o site pode ficar, no mínimo, lento e instável.

Situações como essas podem ter diversas consequências para seu negócio e impactar diretamente na geração de receita do site. Sem falar na má-impressão que um site lento ou inacessível pode causar em seus consumidores e visitantes.

Mas como fazer para otimizar a hospedagem do seu site de modo a suportar picos de tráfego e aumentos consideráveis no número de visitantes? Contratar a melhor hospedagem de sites para sua necessidade é importante, mas não é o único fator nessa equação. Antes de considerar um upgrade de hospedagem, saiba que existem alternativas para adiar a necessidade de um plano superior. Em muitos casos, com um pouco de paciência e seguindo boas práticas, é possível melhorar consideravelmente o desempenho de um site, reduzindo a carga no servidor e adiando um eventual upgrade (por um bom tempo ou indefinidamente).

Quer saber como otimizar a hospedagem do seu site e afastar a ideia de um upgrade? Continue lendo este artigo e descubra.

Otimize o desempenho do seu site ou aplicação

Sempre que um usuário carrega uma página em seu site, há um determinado consumo de recursos do servidor. Este consumo é especialmente maior em sites que possuem conteúdo dinâmico, como é o caso de lojas virtuais e de gerenciadores de conteúdo, como Magento e WordPress. Neste tipo de plataforma, as páginas possuem partes dinâmicas, carregadas de acordo com certas condições. Também ocorrem consultas ao banco de dados, para carregamento das informações dos produtos, entre muitos outros detalhes.

Sendo assim, o consumo de recursos do servidor, durante o simples carregar de uma página, pode ser maior ou menor dependendo de diversos fatores, muitos deles ligados diretamente à aplicação que está sendo rodada, como por exemplo um blog, site ou loja virtual. Por isso, manter esta aplicação funcionando da maneira mais leve possível é um passo fundamental para otimizar a hospedagem.

Para realizar melhorias dessa natureza, é necessário investigar a aplicação, entender como ela funciona e melhorar os aspectos que forem possíveis. Esse tipo de ação pode ser um verdadeiro desafio, principalmente para quem não é da área de desenvolvimento. No entanto, as aplicações mais populares oferecem guias com recomendações para manter seu funcionamento enxuto.

Uma plataforma que permite o uso de temas e plugins externos, como o WordPress, por exemplo, vai recomendar que se use o mínimo necessário de plugins e um tema leve e enxuto. Um estudo mais aprofundado destas boas práticas fornece para o leigo um bom caminho para seguir e realizar uma otimização significativa em seu site. Portanto, procure saber quais são as melhores práticas para o uso da plataforma do seu site e se organize para implementar as mudanças sugeridas.

Utilize também ferramentas externas para avaliar e medir o carregamento das páginas do seu site, como o Google Page Speed Insights, o GTmetrics e similares.

Tela do Page Speed Insights, do Google, exibindo recomendações para melhorar o desempenho de um site
A ferramenta Page Speed Insights, do Google, traz recomendações para melhorar o desempenho de um site

Este tipo de análise vai levantar os pontos do site que merecem atenção e cuja otimização pode trazer melhorias significativas de desempenho. Ao implementar as sugestões, além de passar a ter um site mais rápido, também há redução da carga no servidor. Este é um passo importante para otimizar a  hospedagem do site e deixá-la preparada para aumentos de tráfego eventuais.

Estime o aumento de tráfego e prepare-se para ele

O uso de recursos de um servidor está diretamente ligado ao número de visitantes de um site. Portanto, estimar o tráfego que o seu site pode receber em determinado período pode ser crucial para deixar o servidor preparado para períodos de aumento de demanda.

Muitas hospedagens possuem um limite de visitantes mensais. Mas mesmo entre as hospedagens que não possuem tal limite, a maior preocupação deve ser com os picos de tráfego. São aqueles momentos em que o site recebe um número de visitantes muito maior do que o normal.

Tela do Google Analytics mostrando um pico de tráfego na audiência de um site
Tela do Google Analytics mostrando um pico de tráfego na audiência de um site

Mesmo que o seu site nunca tenha passado por um pico de tráfego, é interessante prever um aumento gradual no número de acessos, especialmente para sites que publicam novos conteúdos frequentemente.

Ao analisar o histórico de audiência do seu site, é possível realizar estimativas para tentar prever um aumento gradual com o tempo  ou picos em campanhas e promoções pontuais. Com as informações em mãos, verifique se a sua hospedagem poderá lidar com este aumento.

Se antecipadamente você perceber que o plano atual não dará conta do aumento, você terá tempo hábil para tomar as devidas providências. Caso tenha dúvidas, entre em contato com o suporte ou com o responsável técnico do seu site e peça ajuda.

Utilize um sistema de cache no seu site

Dentre as medidas que podemos tomar para aliviar a carga do servidor, uma das mais efetivas é a utilização de um sistema de cache. Este tipo de recurso cria cópias estáticas das páginas de um site e as serve aos usuários. Dessa forma, elimina-se parte significativa do processamento que seria realizado pela linguagem de programação, ao montar páginas dinâmicas. As consultas ao banco de dados também são reduzidas, já que parte do conteúdo está em cache.

Um sistema de cache pode ser implementado de diversas formas. Em uma implementação mais básica, cópias estáticas de todas as páginas do site são geradas por um script. Tendo o conteúdo do site devidamente “cacheado”, estas cópias são enviadas aos usuários sempre que uma requisição é realizada. Isso é conseguido através de configurações simples, em muitos casos. Plataformas como o WordPress, por exemplo, possuem inúmeros plugins de cache que cumprem perfeitamente esta função.

Outros sistemas, um pouco mais complexos, podem ser implementados no nível do servidor. Um deles, bastante popular é o Varnish Cache. Trata-se de um sistema de proxy reverso que pode ser instalado no servidor de hospedagem. Na prática, o funcionamento é parecido com o mencionado no parágrafo anterior, no entanto, o desempenho (velocidade na entrega das páginas) é superior. E para aqueles que consideram o aspecto técnico uma barreira no uso de cache no servidor, saiba que diversas empresas de hospedagem oferecem o Varnish (e outras soluções de cache no servidor) por padrão em seus planos de hospedagem.

Portanto, pesquise formas de implementar um sistema de cache no seu site e também no servidor. Se estiver em dúvida sobre como começar, entre em contato com a sua hospedagem e pergunte sobre as possibilidades de uso do cache.

Antes de encerrar este tópico, é importante ressaltar que nem todo conteúdo do site pode ser “cacheado”. Algumas informações precisam estar sempre atualizadas, especialmente em sites que realizam vendas online. Afinal, você não quer que um cliente compre um produto que não está mais em estoque, mas que aparece como disponível no site, não é mesmo? Portanto, vale analisar o que pode e o que não pode entrar no cache. Ainda assim, este é um recurso fundamental para ter uma hospedagem otimizada e que poderá beneficiar a maioria dos sites e lojas virtuais utilizadas atualmente.

Para saber mais sobre o assunto, leia o artigo o que é cache e por que ele é importante para a sua hospedagem.

Use uma CDN

CDN é o acrônimo de Content Delivery Network, que significa Rede de Distribuição de Conteúdo. E o que ela faz é espalhar cópias do conteúdo do seu site (ou partes dele) em servidores localizados ao redor do mundo. Assim, os usuários podem receber o conteúdo solicitado a partir de um ponto mais próximo geograficamente de sua localização.

A ideia original por trás deste recurso é o aumento de velocidade na entrega do conteúdo. No entanto, há um “efeito colateral” muito bem-vindo, que é a redução da carga do servidor. Como grande parte das requisições sequer chegam à hospedagem, a CDN consegue reduzir de maneira considerável o uso de recursos do servidor, tornando este um item fundamental para uma hospedagem otimizada.

Uma CDN pode reduzir bastante a carga do servidor - Imagem: CloudFlare
Uma CDN como a CloudFlare pode reduzir bastante a carga do servidor

E o melhor é que este serviço não é tão caro quanto possa parecer. Em alguns casos pode sair até mesmo de graça, como é o caso do CloudFlare. A CDN é um recurso que vale a pena considerar para o seu site, independentemente do seu tamanho.

Para saber mais sobre o assunto, veja o artigo o que é CDN e por que devo usá-la em meu site.

Otimize as imagens do site

As imagens estão entre os recursos mais pesados no carregamento de um site e podem prejudicar um site sob dois aspectos: do lado do servidor e também do usuário.

Sob o aspecto do servidor, imagens grandes (em tamanho de arquivo) podem consumir em excesso o espaço disponível para o armazenamento do site. E um servidor “lotado” pode ficar lento e até mesmo ser suspenso por violar as regras do serviço.

Do ponto de vista do usuário, imagens muito pesadas podem afetar bastante a experiência de navegação. Aqueles que estão em conexões lentas podem simplesmente não conseguir carregar as imagens, enquanto outros serão prejudicados pela lentidão e experiência ruim.

Assim, é recomendado tratar todas as imagens que serão publicadas em seu site ou loja virtual antecipadamente. Felizmente existem muitas maneiras de realizar este tratamento e não é necessário ser designer ou especialista em TI para fazê-lo. Ferramentas gratuitas e pagas, como o TinyPNG se propõem a reduzir o tamanho dos arquivos de imagem através da eliminação de pixels não utilizados e técnicas similares. CMSs como o WordPress podem se valer de plugins, como o Smush, para otimizar suas imagens no carregamento.

TinyPNG
Ferramentas como o TinyPNG são ótimas para reduzir o peso dos arquivos de imagem

Para saber mais sobre isso, visite o artigo como otimizar imagens para o seu site: 4 regras de ouro!

Certifique-se de que o SSL está configurado corretamente

Se você possui ou administra um site, provavelmente já conhece a importância de um certificado SSL. Este recurso garante a segurança das informações trocadas entre seu site e os usuários, criptografando os dados enviados e recebidos. Assim, fica praticamente impossível extrair qualquer dado, caso um pacote seja interceptado por um hacker. Isso para mencionar apenas um aspecto.

Por isso, para manter sua hospedagem otimizada é fundamental ter um certificado SSL válido instalado. Se possível, configure a renovação automática do mesmo, para não correr o risco dele expirar sem que exista um aviso prévio.

Mas não basta apenas ter o certificado instalado. Também é fundamental garantir que o tráfego ocorra 100% sob criptografia HTTPS e que não exista nenhum arquivo sendo carregado via HTTP. Além de comprometer a segurança das informações, este tipo de falha pode afugentar potenciais clientes, já que os navegadores indicam este tipo de ocorrência.

Navegue no site e verifique se o cadeado aparece no navegador em todas as páginas. Se preferir, submeta as URLs do site a uma inspeção de segurança, através do site Why No PadLock. Além de buscar por conteúdo não-seguro, a ferramenta ainda verifica a validade do certificado SSL.

Why No Padlock?
O Why no PadLock ajuda a encontrar erros de SSL

Para saber mais, visite o artigo certificado SSL: o que é e por que seu site precisa de um.

Configure um serviço para monitorar o site

Ter um sistema de monitoramento do site implementado é fundamental para identificar problemas e poder agir rapidamente. Por mais que se mantenha a hospedagem otimizada da melhor forma possível, é sempre bom ter um sistema de alerta, pois problemas inesperados podem acontecer. 

Felizmente, existem serviços especializados em monitorar continuamente sites e servidores.

O tipo mais simples de monitoramento realiza um ping, que é o envio de um dado para um servidor, e monitora o recebimento da resposta. Caso não se receba nenhuma resposta, um alerta é disparado para o administrador do site. O intervalo de tempo para o monitoramento geralmente pode ser definido pelo usuário. Sistemas mais completos podem ser instalados no servidor para monitorar outros recursos, como o uso de CPU e memória, alertando o administrador do site em caso de problemas. A vantagem de um sistema como esse é que é possível saber que existem problemas antes de uma eventual queda no servidor.

Serviços como o PingDom e o UptimeRobot realizam monitoramento à distância e são oferecidos em modalidades gratuitas e pagas. Sistemas mais complexos, como o Zabbix, podem ser instalados diretamente no servidor de hospedagem para monitorar diversos aspectos do mesmo.

Tela de monitoramento do PingDom
Tela de monitoramento do PingDom

Ter o seu site monitorado é fundamental para qualquer pessoa que depende da sua disponibilidade. Portanto, este pode ser um grande aliado para evitar problemas ou até mesmo para resolver problemas inesperados com mais rapidez.

Para saber mais, veja o artigo como monitorar o uptime da hospedagem (e ser avisado se o seu site ficar fora do ar).

Se a otimização da hospedagem não for suficiente, faça um upgrade

Muitas vezes, o crescimento da audiência de um site traz consigo a necessidade de maiores cuidados e atenção com a infraestrutura. E, se mesmo depois de realizar as otimizações propostas aqui, seu site ainda apresentar problemas, talvez o upgrade seja inevitável.

Felizmente, as opções de upgrades são diversas e podem atender a uma infinidade de necessidades. Acima dos planos de hospedagem compartilhada, que são os mais baratos (e limitados) do mercado, podemos encontrar boas opções em diversas modalidades.

Um servidor virtual privado, ou VPS, funciona como um servidor dedicado, mas virtualizado em um ambiente compartilhado. Ele costuma ser uma opção interessante de upgrade para aqueles que vêm dos planos compartilhados, com opções para diversas necessidades e preços. Veja aqui os melhores servidores VPS na avaliação da nossa equipe.

Para sites e aplicações mais robustas, um servidor dedicado pode ser uma ótima opção. Nesta modalidade de hospedagem, os recursos do servidor estão 100% à disposição do cliente. Para saber mais, veja uma seleção dos melhores servidores dedicados do mercado, reavaliados periodicamente.

E para aqueles que precisam lidar com variações muito grandes de audiência e necessitam de uma infraestrutura que acompanhe estas variações, a hospedagem cloud pode ser o caminho necessário. Nesta modalidade, pode-se aumentar ou reduzir os recursos de infraestrutura conforme a demanda. Está entre os tipos de hospedagem mais complexos, exigindo mais conhecimento técnico para uso. Veja aqui alguns dos melhores serviços de hospedagem cloud da atualidade.

Tenha um plano B

Por mais que sejamos precavidos, ninguém está livre de imprevistos. No universo da hospedagem de sites, os problemas mais graves dizem respeito à indisponibilidade e à perda de dados. Isso para citar apenas algumas situações ruins. Por conta disso, ter um plano B pode ser uma boa estratégia para contenção de danos. Veja também: Site fora do ar: o que fazer quando isso acontece e como evitar.

Como item fundamental de um plano de contingência, podemos eleger o backup (descubra aqui o que é backup e por que ele é vital para o seu site). Ter uma cópia do site, incluindo código-fonte, imagens e o banco de dados, é fundamental. Apesar de não evitar que o site fique fora do ar, pode ser importante para a recuperação dos dados ou migração de servidor.

Em casos mais extremos, nos quais a indisponibilidade deve ser evitada a qualquer custo, é possível buscar soluções mais avançadas. Em uma loja virtual de alto tráfego, por exemplo, podemos fazer uso de múltiplos servidores redundantes, sendo o tráfego distribuído através de balanceadores de carga. Nesse cenário, um serviço cloud robusto, ou diversos servidores dedicados, poderiam ser utilizados. Este tipo de saída, no entanto, costuma ser (bem) mais cara e demanda uma equipe dedicada ao assunto.

Seja qual for o cenário, vale a pena ter um plano de emergência. Assim, se algo der errado, você já estará preparado para lidar com a situação.

Conclusão

Ter uma hospedagem otimizada é fundamental para qualquer negócio que depende da internet. É interessante ver como algumas ações simples (outras nem tanto) podem preparar o seu site ou loja virtual para receber mais tráfego e ainda assim se manter de pé.

A exceção das dicas listadas aqui fica por conta de plataformas e serviços já hospedados e cuja manutenção não depende de nenhuma ação por parte do administrador. Este é o caso de ferramentas como criadores de sites e lojas virtuais prontas. Nestas plataformas, muitas vezes não se tem acesso ao código-fonte, não sendo possível realizar otimizações por conta própria.

Acima de tudo, é importante ter em mente que estas ações vão contribuir para a saúde do seu site como um todo. Em muitos casos, adotar procedimentos como os listados aqui poderá prolongar a permanência de seu site em uma hospedagem de baixo custo.

Ficou com alguma dúvida? Deixe um comentário e vamos conversar!

Por:

Designer, desenvolvedor web, músico — e um dos fundadores do Tudo Sobre Hospedagem de Sites. Desde 2010 vem atuando na área de hospedagem de sites, tendo ajudado centenas de pessoas a encontrarem as melhores soluções para seus projetos online. É um entusiasta do WordPress e acredita que a Internet pode transformar a vida das pessoas através do conhecimento. Desde 2013 compartilha sua experiência sobre hospedagem e criação de sites no TSHS. É responsável pela área de infraestrutura e desenvolvimento do site e autor dos artigos e tutoriais técnicos do blog.

Deixe um comentário

Todos os comentários são moderados. Então, seu comentário não será exibido imediatamente após o envio.
Mas fique tranquilo(a), porque ele será respondido em breve. 😉