CloudFlare: o que é e como configurá-lo em seu site

CloudFlare - imagem ilustrativa

Você já se perguntou como empresas do porte do Google e da Microsoft fazem para carregar seus sites quase que instantaneamente para milhões de usuários em todo o mundo? E como essas mesmas empresas protegem seus servidores de ataques e invasões? Dentre as muitas tecnologias utilizadas no processo, um serviço vem se destacando ao oferecer soluções para estes e outros desafios da internet. Estamos falando do CloudFlare.

O serviço, criado em 2009, despertou a atenção de investidores e em poucos anos se tornou indispensável para milhões de sites. Atualmente, a CloudFlare atende não apenas grandes empresas, mas sites de todos os tamanhos, trazendo melhorias em segurança e desempenho.

O que é CloudFlare

De maneira bem simplificada, CloudFlare é um conjunto de serviços de proteção e otimização de sites. O serviço tem características que se assemelham à uma CDN, mas vai muito além disso. É possível, inclusive, usar uma CDN de terceiros em conjunto com o CloudFlare. Por falta de uma definição melhor, a empresa já foi citada por alguns veículos da imprensa como sendo “a próxima geração de CDN”, como contou o próprio fundador da empresa.

Dentre os muitos recursos do CloudFlare, podemos destacar:

  • Proteção contra ataques DoS e DDoS;
  • CDN (rede de distribuição de conteúdo);
  • Criptografia de dados e emissão de certificados SSL (HTTPS);
  • Firewall para aplicações web;
  • Otimização de imagens;
  • Balanceamento de carga;
  • HTTP/2 e SPDY;
  • Regras customizadas de cache e redirecionamento;
  • E muitos outros!

Para que serve o Cloudflare

Em geral, utiliza-se o CloudFlare para melhorar o desempenho e a segurança de sites e aplicações. No início da internet, a única maneira de entregar o conteúdo de um site para seus visitantes era através do servidor de hospedagem. Até os dias de hoje milhares de sites funcionam dessa maneira. No entanto, em muitos casos, isso pode causar congestionamento no servidor, em especial quando muitos visitantes estão tentando acessar o mesmo site.

Para resolver problemas como este, o CloudFlare se vale de 151 data centers espalhados pelo mundo. Dessa forma, visitantes do Japão podem carregar o conteúdo de um site com rapidez, mesmo se o servidor de hospedagem estiver localizado nos Estados Unidos. Atualmente, mais de 8 milhões de sites utilizam CloudFlare.

Mapa mundial com a localização dos servidores do CloudFlare marcada

Localização dos data centers CloudFlare pelo mundo

Outro propósito da CloudFlare que merece destaque é a proteção contra ataques de negação de serviço, distribuídos (DDoS) ou não (DoS). Nesse tipo de ataque, o site alvo recebe um número de requisições maior do que consegue responder, fazendo com que o servidor fique inoperante. O CloudFlare consegue identificar e bloquear com muita eficiência a maior parte deste tráfego malicioso. Como resultado, o site fica disponível e responde normalmente para os usuários verdadeiros, ficando bloqueado apenas para as requisições ilegítimas dos hackers e computadores zumbis.

O serviço ainda oferece outros recursos para acelerar o carregamento de sites e atende diversas necessidades do público mais técnico, como veremos mais adiante.

Vantagens de usar o CloudFlare

Vamos conhecer a seguir as principais vantagens de usar CloudFlare em um site.

Ganho de velocidade

Uma das vantagens mais claramente percebidas pelos usuários é a velocidade de carregamento das páginas. O sistema de proxy reverso do CloudFlare, responsável por responder às requisições dos usuários, é realmente eficiente. O recurso, combinado com sistema de cache, faz com que o ganho em desempenho seja perceptível para os usuários. E na internet, como sabemos, cada milissegundo a menos faz diferença.

Aumento da segurança e proteção dos sites

Outra grande vantagem é a segurança e a proteção adquiridos pelos sites que se valem do CloudFlare. Sua imensa rede é capaz de tratar o tráfego automaticamente, bloqueando bots maliciosos e tentativas de invasão para coleta de dados. A proteção contra ataques de negação de serviço (DoS) também é algo facilitado pelo CloudFlare. Ao identificar que o seu site está sob ataque, o cliente pode ativar a proteção com um clique no painel de controle.

Redução dos gastos com infraestrutura

Como resultado do seu pacote de serviços, o CloudFlare ainda reduz o uso de recursos no servidor de hospedagem. Este aspecto pode representar uma economia em infraestrutura, uma vez que pode adiar a necessidade de upgrades e da contratação de serviços adicionais.

Visibilidade de informações do site

Podemos mencionar também como uma vantagem a visibilidade das informações de acesso ao site. É possível visualizar comportamentos inesperados da audiência e criar regras exclusivas para contornar cenários específicos.

É interessante mencionar, como curiosidade, que o serviço foi criado originalmente tendo apenas a segurança e a proteção contra spam em mente. O ganho de desempenho foi um “efeito colateral” benéfico percebido pelos usuários e que acabou sendo incorporado e evoluído como parte do pacote de serviços da empresa.

Para quem é indicado

O CloudFlare é indicado para qualquer pessoa ou empresa que possui um site e que deseja melhorar o desempenho e a proteção do mesmo. Isso inclui sites estáticos, gerenciadores de conteúdo (ex.: WordPress instalado e Joomla), lojas virtuais hospedadas (ex.: Magento), aplicativos web, e outros.

Não são aptos para o CloudFlare sites construídos em ferramentas que já possuem hospedagem, como por exemplo os criadores de sites (ex.: Wix), blogs hospedados (ex.: Blogger e WordPress.com) e outras plataformas dessa natureza.

Como funciona o CloudFlare

De maneira simplificada, a rede de servidores do CloudFlare se coloca “na frente” do servidor de hospedagem, ou seja, entre o usuário e o servidor. Dessa forma, toda e qualquer requisição para o site passa obrigatoriamente pela rede do CloudFlare.

Esse mecanismo permite que apenas visitas legítimas, ou seja, de usuários reais e bots inofensivos, sejam autorizadas a acessar o site. Eventuais ameaças, como bots malignos, ataques em massa ou tentativas de invasão, ficam bloqueadas automaticamente nos servidores da CloudFlare, sem interferir no funcionamento do servidor de hospedagem.

Diagrama resumindo o funcionamento do CloudFlare

Além disso, por conta de sua rede de 151 data centers espalhados pelo mundo, o acesso do visitante é recebido pelo servidor mais próximo fisicamente do usuário. Ao receber a requisição, o CloudFlare pode fornecer o conteúdo imediatamente, caso este esteja armazenado em cache, sem repassar a requisição para o servidor de origem (hospedagem). Este funcionamento representa, na prática, um ganho de velocidade significativo.

Comparação simbólica da velocidade de acesso a um site com e sem CloudFlare

Comparação simbólica da velocidade de acesso a um site com e sem CloudFlare

Se o conteúdo do site em questão não estiver armazenado em cache, a requisição ainda pode ser enviada para o servidor de origem usando uma rota da própria CloudFlare, em um processo que é mais rápido, na maioria das vezes, do que o que seria sem usar o recurso. Quando isso ocorre, o CloudFlare também armazena o recurso solicitado para que as próximas requisições sejam entregues via cache, sempre que possível.

Ilustração explicando o funcionamento do cache do CloudFlare

Ilustração explicando o funcionamento do cache do CloudFlare

Como configurar o CloudFlare em um site

A configuração básica do CloudFlare em um site é muito simples e não exige conhecimento técnico nem edições de código.

O primeiro passo é criar uma conta gratuita na plataforma. Para isso, acesse o site do serviço e clique em Inscreva-se ou Sign In, no topo da página. Preencha o formulário inserindo seu e-mail e uma senha. Em seguida, clique em Create Account.

Passo 1 para criação de uma conta no CloudFlare

Na tela seguinte, insira o domínio do site que você deseja configurar no CloudFlare (ex.: meusite.com.br).

Tela para informar o endereço do site no CloudFlare

A próxima tela exibe uma mensagem informando que os servidores da CloudFlare estão identificando as entradas de DNS do seu domínio, para que você não precise fazer isso manualmente. Você poderá revisar estes valores antes de finalizar a configuração.

Tela informando que as entradas de DNS estão sendo lidas pelo CloudFlare

Em seguida está a tela de escolha de plano. Vamos escolher o plano gratuito, que já é suficientemente bom para muitos sites. Se você está configurando o CloudFlare pela primeira vez, sugiro que escolha o plano gratuito, porque ele dá acesso às principais funcionalidade de proteção e melhoria de desempenho. No futuro, você poderá alterar o plano para outro, se desejar.

Tela para escolha de planos no CloudFlare

Após escolher um plano você pode revisar as entradas de DNS que o CloudFlare identificou automaticamente, e acrescentar outras se desejar, como mostra a imagem seguinte. Você também pode definir se deseja que determinada entrada (um subdomínio, por exemplo) passe ou não pela CloudFlare.

Se a nuvem estiver laranja, significa que aquele endereço está passando pelo CloudFlare. Se estiver cinza, está passando direto (bypass) para o servidor de hospedagem. O domínio principal, por exemplo, deve passar pela CloudFlare, enquanto outras entradas, como o endereço de FTP, devem ser direcionadas diretamente para o servidor. Você não precisa se preocupar com isso, se não quiser, pois o sistema vai sugerir automaticamente as entradas que devem ou não passar pela CloudFlare.

Tela de revisão das entradas de DNS lidas automaticamente pelo CloudFlare

Em geral, o CloudFlare consegue identificar todas as entradas de DNS que estão configuradas para o domínio. Mas se você quiser conferir e fazer uma revisão manual, basta acessar o painel de administração da sua hospedagem (para onde o DNS do seu domínio deve estar apontado) e verificar se os registros estão batendo. Após a revisão, clique no botão Continue na base da página.

Tela de revisão das entradas de DNS lidas automaticamente pelo CloudFlare

A tela seguinte é uma das mais importantes para a configuração do CloudFlare. Ela exibe os nameservers, isto é, as entradas de DNS para onde você deve apontar seu domínio. Para finalizar a configuração, você deve acessar o painel da empresa onde registrou e administra o seu domínio e alterar os valores de DNS para os informados pela CloudFlare.

Após esta mudança, o seu tráfego passa a ser direcionado para os data centers da CloudFlare, ao invés do seu servidor de hospedagem. Se você não sabe o nome da empresa que administra o seu domínio, tente usar uma ferramenta Whois para descobrir.

Tela com as informações de DNS que devem ser usadas para apontar o domínio para o CloudFlare

Se você estiver se perguntando – meu site vai ficar fora do ar? – a resposta é não! Como sabemos, uma mudança de DNS pode levar até 72 horas para se propagar pela internet. No entanto, como o seu servidor de hospedagem continua funcionando normalmente, o site não fica fora do ar nem por um instante. Assim, pode ficar tranquilo, porque a transição é segura e sem percalços.

Após realizar o apontamento de DNS, você pode clicar em Continue para prosseguir para o painel de controle do CloudFlare.

A tela seguinte exibe o status do DNS. Se a mudança ainda não estiver se propagado, o status será pendente e mostrará a mensagem: “Website not active (DNS modification pending)”. Devido à propagação do DNS, o CloudFlare leva 24 horas em média para identificar a mudança de DNS.

Status do DNS com a ativação ainda pendente

Após o sistema identificar que o DNS está apontado para os servidores da CloudFlare, o status muda para ativo (active).

Status da ativação do DNS após a identificação do apontamento do DNS - CloudFlare ativo

Logo após este setup inicial, você já tem acesso ao painel de administração do CloudFlare. Vamos ver alguns detalhes do painel a seguir.

Painel de administração do CloudFlare

O painel de administração do CloudFlare contém todos os recursos disponibilizados pelo serviço, mesmo aqueles que não estão contemplados no seu plano. Quando isso ocorre, uma mensagem indica que é necessário fazer um upgrade para ter acesso ao recurso.

Não entraremos em muitos detalhes sobre cada recurso, porque são muitos. Mas vamos ver resumidamente os principais a seguir.

Overview

Painel CloudFlare - Overview

Esta é a primeira opção no painel e exibe um resumo da sua conta, incluindo o status do CloudFlare (que pode ser pausado e retomado a qualquer momento), um resumo do domínio (SSL e nível de cache) e o plano escolhido. É possível alterar o plano escolhido nesta página.

Analytics

Painel CloudFlare - Analytics

A tela Analytics exibe um resumo dos dados de acesso ao seu site e do uso do CloudFlare neste contexto. É possível visualizar, por exemplo, quantas requisições foram servidas diretamente pelo sistema de cache do CloudFlare e quantas foram enviadas para o servidor de hospedagem.

Exemplo de gráfico de acesso no painel Analytics do CloudFlare

Exemplo de gráfico de acesso no painel Analytics do CloudFlare

Esta tela também exibe um resumo do desempenho do CloudFlare, informando quantas requisições foram “economizadas” pelo seu servidor de hospedagem, o total de ameaças prevenidas, o tráfego servido via HTTPS, entre outros dados.

DNS

Painel de administração do CloudFlare, destaque para a área DNS

A tela DNS exibe todas as entradas de DNS do domínio. É aqui que você deve gerenciar as entradas de DNS após o apontamento para o CloudFlare. Se você precisar, por exemplo, criar um subdomínio, configurar um e-mail profissional, pode fazê-lo nesta área.

Crypto

Painel de administração do CloudFlare, destaque para a área Crypto

Esta é a área de administração da criptografia do seu domínio e das informações trocadas entre o servidor e os usuários. Dentre as muitas opções avançadas, destacamos o item SSL, onde é possível ativar certificados SSL para o site gratuitamente, emitidos pela própria CloudFlare.

Firewall

Painel de administração do CloudFlare, destaque para a área Firewall

A aba Firewall é muito útil para proteger e identificar ataques no site. O sistema do CloudFlare já evita uma série de ataques de maneira automática. No entanto, se você identificar em algum momento que determinado IP está sobrecarregando seu servidor, poderá bloqueá-lo aqui. O nível de segurança desejado para o seu site também pode ser definido e alterado nesta área.

Speed

Painel de administração do CloudFlare, destaque para a área Speed

A seção Speed é especialmente interessante para os que procuram por melhorar o desempenho e a velocidade de carregamento das páginas de um site. É possível ativar aqui itens como minificação de scripts, otimização de imagens (compressão automática) e a função Rocket loader, criada pela própria CloudFlare para acelerar o carregamento de sites, entre outras. Vale notar que nem todos os recursos estão disponíveis no plano gratuito.

Caching

Painel de administração do CloudFlare, destaque para a área Caching

A área de Caching é muito útil em momentos nos quais se publicam alterações no site. É possível limpar (renovar) o cache, evitando que usuários vejam conteúdo desatualizado no seu site. Aqui também define-se o nível de cache para o site, tempo de validade do cache, entre outros recursos relacionados.

Page Rules

Painel de administração do CloudFlare, destaque para a área Page Rules

A aba Page Rules permite a criação de regras customizadas para o site. Dentre as muitas possibilidades, podemos citar a configuração de redirecionamentos e o cache agressivo apenas em determinadas páginas. Muito útil para desenvolvedores.

Quanto custa o CloudFlare

O serviço é oferecido em 4 planos distintos, que vão do gratuito ao personalizado (Enterprise). Depois do gratuito, o plano imediatamente superior é o Pro, que custa US$ 20/mês por domínio. O plano Business custa US$ 200/mês por domínio. O Enterprise, que é um plano voltado para grandes empresas, tem o preço definido sob demanda (é necessário solicitar um orçamento).

Tabela de planos e preços CloudFlare

O plano grátis oferece proteção contra DDoS, CDN, certificado SSL e 3 regras (page rules), entre outros recursos. Este é um plano que pode ser vantajoso para uma infinidade de sites, independente do número de visitantes.

O plano Pro (US$ 20/mês) inclui todos os recursos do plano grátis, além de firewall para aplicativos web (WAF), otimização de imagens, otimização para dispositivos móveis e 20 regras (page rules).

O plano Business (US$ 200/mês) inclui tudo do plano Pro e mais firewall para aplicativos web (WAF) com regras personalizadas, carregamento de certificado SSL personalizado, entrega acelerada de conteúdo dinâmico (Railgun), suporte priorizado por e-mail, 50 regras (page rules), entre outros recursos.

O plano Enterprise (sem preço definido) inclui todos os recursos do Business mais suporte priorizado por chat, e-mail e telefone, garantia de 100% de disponibilidade com SLA de reembolso, regras para 100 páginas (page rules), engenheiros de suporte dedicados, entre muitos outros recursos.

Os planos do CloudFlare devem ser contratados separadamente para cada domínio. Ou seja, ao escolher um plano para um site, ele vale apenas para aquele site. Ao adicionar um segundo site, deve-se escolher um novo plano. Dessa forma, é possível usar o CloudFlare em vários sites e cada um deles ter um plano distinto.

Para ver todos os planos e comparar seus recursos, acesse esta página.

Conclusão

A CloudFlare está melhorando a experiência e a qualidade da internet, principalmente sob o aspecto do desempenho e da segurança, ao atender mais de 8 milhões de sites em todo o mundo. E se você possui um site hospedado e deseja tirar vantagem destes benefícios, pode criar uma conta gratuita e começar a usar o serviço rapidamente, como vimos aqui.

Se você deseja se aprofundar no tema e saber como um sistema de cache e uma CDN podem trazer benefícios para o seu site, não deixe de conferir os artigos sobre o que é cache e o que é CDN.

,

Publicado originalmente em 13/07/2018 - Atualizado em 13/07/2018

Por:

Designer, desenvolvedor web e um dos fundadores do Tudo Sobre Hospedagem de Sites. Entusiasta do WordPress e apaixonado por tecnologia em geral. Acredita que a internet pode transformar a vida das pessoas através do conhecimento. =)

12 Comentários

    • Bill Bordallo
      Cofundador - Tudo Sobre Hospedagem de Sites

      Obrigado, Marlon! 🙂

      Responder
  1. Vinicius Sammogini

    Obrigado, Bill Bordallo, e parabéns melhor tutorial sobre o CloudFlare que explorei …

    Responder
    • Bill Bordallo
      Cofundador - Tudo Sobre Hospedagem de Sites

      Obrigado pelo comentário, Vinicius! 🙂

      Responder
    • Bill Bordallo
      Cofundador - Tudo Sobre Hospedagem de Sites

      Obrigado, Luan! 🙂

      Responder
  2. Ricardo

    Vou começar a usar o cloudflare. Parabéns pelo blog, tem muitas dicas ótimas..valeww

    Responder
    • Bill Bordallo
      Cofundador - Tudo Sobre Hospedagem de Sites

      Olá, Ricardo,
      Obrigado pelo comentário. O CloudFlare é uma ótima ferramenta, tenho certeza que será útil para você. 🙂
      Abraços.

      Responder
  3. Diego Trepim

    Muito bom o material que foi desenvolvido, simples e objetivo. Depois de ter lido entrei no site da CloudFlare e criei uma conta, em menos de 24hs foi possível realizar todos os procedimentos do descrito no material de vocês, parabéns pelo trabalho.

    Responder
    • Bill Bordallo
      Cofundador - Tudo Sobre Hospedagem de Sites

      Olá, Diego,
      Obrigado pelo comentário. Fico feliz em saber que conseguiu seguir o procedimento e configurar o CloudFlare no seu site. 🙂
      Abraços.

      Responder
    • Bill Bordallo
      Cofundador - Tudo Sobre Hospedagem de Sites

      Obrigado, Beto! 🙂

      Responder

Deixe um comentário

Todos os comentários são moderados. Então, seu comentário não será exibido imediatamente após o envio.
Mas fique tranquilo(a), porque ele será respondido em breve. 😉