Hospedagem Cloud

hospedagem cloud
  • melhor cloud - comparativo 2016Tipo: Hospedagem Cloud (ou hospedagem em nuvem)
  • Custo: a partir de R$ 20 por mês
  • Indicado para: sites, blogs, lojas virtuais e aplicações que precisam de elasticidade para suportar picos de tráfego ou empresas que desejam virtualizar sua infraestrutura e baratear custos com TI.
  • Nível de dificuldade: médio a alto, dependendo do serviço contratado.
  • Avaliação geral: serviço ideal para dois tipos de público: sites/blogs/aplicações que precisam lidar com picos de tráfego sem cair e empresas que desejam migrar sua infraestrutura de TI para a nuvem, contando com as diversas vantagens que acompanham essa mudança.
  • Onde contratar: conheça as empresas que oferecem os melhores Clouds

O que é hospedagem cloud

Muito tem se falado sobre hospedagem cloud ou hospedagem na nuvem, nos últimos anos. É verdade que o termo confunde muita gente, mas vamos explicar neste artigo o que é e como funciona um serviço de hospedagem em nuvem.

De maneira resumida, podemos dizer que a hospedagem cloud é um serviço que disponibiliza na internet um ou mais servidores virtuais que não estão localizados em um computador específico, mas em uma série deles. Ao distribuir os recursos de um único servidor entre vários computadores, é possível aliviar a carga de cada máquina e ganhar muito em capacidade de processamento. Como o processamento será distribuído entre vários computadores, pode-se até mesmo criar super computadores, com capacidade de processamento de dados muito superiores ao que seria possível com um único servidor, mesmo que se trate de um bom servidor dedicado.

Agora que já temos uma visão geral, vamos entender melhor esse conceito, suas vantagens e como ele funciona na prática.

Vantagens da hospedagem Cloud

Em resumo, podemos listar as seguintes vantagens que a hospedagem cloud oferece sobre os serviços tradicionais de hospedagem:

  • Elasticidade (aumento ou redução) de recursos
  • Controle de custos (pague à medida que utilizar)
  • Capacidade de processamento
  • Barateamento dos custos com infraestrutura de TI

Vamos ver em mais detalhes cada uma das vantagens que listamos acima.

Elasticidade de recursos

elasticidade cloud

Uma das grandes vantagens de uma hospedagem na nuvem, é a possibilidade de aumento ou redução de seus recursos, à medida que eles se fazem necessários. Imagine que você possui uma loja virtual, que tem um tráfego constante na maior parte do ano, mas possui aumentos repentinos em determinadas épocas, como a Black Friday ou no final de ano. Se você utiliza um serviço de hospedagem tradicional, sua loja poderá ficar fora do ar, caso o servidor não suporte a quantidade de visitas. Para contornar isso, você precisará fazer upgrade de plano ou até mesmo contratar um servidor dedicado, o que acrescentará um custo fixo alto à sua operação, e não necessariamente vai garantir a disponibilidade de sua loja online.

Se você possui uma hospedagem cloud, você não precisará fazer um upgrade de plano, mas sim expandir os recursos de seu serviço, o que geralmente é feito no próprio painel de controle da hospedagem. Ao final da época de alto tráfego, você poderá reduzir a quantidade de recursos que utiliza, voltando ao patamar anterior e também reduzindo os custos com o serviço.

Controle de custos

custos cloud hosting

Além da vantagem de poder expandir e reduzir os recursos, a cobrança no cloud hosting é proporcional ao que é utilizado. Ou seja, você não pagará por mais recursos do que o necessário, como poderia acontecer em um servidor dedicado, por exemplo.

Em geral, ao contratar o serviço, você não contrata um plano com um preço fixo, como em uma hospedagem tradicional. Ao invés disso, você seleciona uma quantidade x de recursos, como por exemplo, memória, CPU e espaço em disco e paga por hora, semana ou mês, dependendo da empresa. Conforme a sua demanda, esses recursos podem ser aumentados ou reduzidos, afetando diretamente os custos.

Algumas empresas diferem no modelo de cobrança, sendo possível contratar a hospedagem cloud como um serviço pré-pago ou pós-pago. No modelo pré-pago, você contrata uma quantidade determinada de créditos, que vão sendo consumidos pela aplicação quando você os utiliza. Quando os créditos estiverem acabando, você pode optar por renová-los automaticamente ou manualmente. No pós-pago, os recursos vão sendo consumidos e serão cobrados ao final de um período fixo pré-determinado (ex.: mensalmente). Em ambos os casos você pode acompanhar e gerenciar os gastos através do painel de controle da sua hospedagem cloud.

Capacidade de processamento

processamento hospedagem cloud
Como citamos no início do artigo, por se tratar de um computador virtual que está distribuído em vários computadores reais, a capacidade de processamento e armazenamento do sistema pode ser expandida praticamente sem limites. As vantagens dessa arquitetura são muitas, principalmente para aplicações e sistemas que precisam processar muitas informações online.

Para ilustrar essa capacidade, tomemos como exemplo o aplicativo Instagram: ao publicar uma fotografia, a imagem é enviada e processada em um servidor cloud antes de ser publicada para visualização de todos. O mesmo ocorre com os comentários e curtidas em cada foto. O sistema, portanto depende do processamento “da nuvem” para funcionar. E esse processamento precisa ser feito milhares de vezes por minuto para atender aos usuários do Instagram, espalhados pelo mundo. Provavelmente o Instagram não funcionaria do modo como é hoje, se não existisse a computação em nuvem.

Essa mesma lógica de processamento na nuvem é utilizada em milhares de outros aplicativos, como o Gmail, o Dropbox, programas online de edição de imagens, jogos e muitos outros!

Barateamento com infraestrutura de TI

infraestrutura cloud

Este aspecto é um pouco diferente dos que citamos acima, mas não menos importante. Muitas empresas mantêm por conta própria servidores para armazenar dados e sistemas de uso interno e que não podem ser acessados por ninguém de fora da empresa. Uma rede interna (intranet), por exemplo, funciona dessa maneira. Essa infraestrutura de servidores e equipamentos de rede precisa de manutenção, seja para manter os sistemas atualizados e funcionando, seja para fazer upgrades e melhorias de equipamento. Nesse caso, a empresa precisará contatar profissionais especializados para manter essa rede e servidores internos. Esses profissionais podem ser funcionários da própria empresa ou terceirizados. Seja qual for o modelo, haverá um custo para manter os profissionais e equipamentos, que pode ser bastante alto, dependendo da estrutura da empresa.

Por conta desse custo elevado, muitas empresas acabam optando por migrar seus sistemas internos para uma nuvem privada, que fica disponível na internet, mas só pode ser acessada utilizando credenciais da própria empresa. Nesse novo cenário, a empresa reduz em muito o custo com equipamento, que ficará a cargo do fornecedor do serviço de hospedagem cloud, e também reduz o custo com profissionais especializados, pois a manutenção e atualização dos servidores será feita também pela fornecedora da cloud. Naturalmente, a empresa continuará precisando de profissionais para administrar sua nova infraestrutura virtual, mas no final das contas, haverá economia.

Além disso, a rede da empresa poderá ser acessada por funcionários que estejam localizados em qualquer parte do mundo, bastando que eles tenham as credenciais apropriadas para isso. Essa faceta da nuvem permite também que o trabalho colaborativo seja possível independente da localização dos colaboradores. Este último recurso é bastante utilizado em programas de escritório e edição de documentos, como o Google Drive e o Dropbox, que permitem que várias pessoas editem um mesmo documento simultaneamente.

Desvantagens da hospedagem em nuvem

Apesar de oferecer diversas vantagens sobre o modelo de hospedagem tradicional, a cloud hosting também tem suas desvantagens, que devem ser analisadas com cuidado antes de contratar o serviço para você ou para sua empresa. Em nossa opinião, as principais desvantagens de uma hospedagem cloud são as seguintes:

  • Complexidade técnica
  • Custo
  • Dependência de sistemas específicos
  • Indisponibilidade
  • Suporte técnico

Vamos entender um pouco melhor cada um desses aspectos:

Complexidade técnica

As empresas de hospedagem têm se esforçado para criar soluções simples e fáceis de usar, mesmo para leigos no assunto. Apesar disso, hospedar um site ou aplicação em um servidor cloud pode ser desafiador, mesmo para pessoas com um pouco mais de experiência. Isso porque, dependendo da empresa e do serviço contratado, você pode receber acesso a um sistema operacional “cru” e terá que configurar muita coisa “na mão”, como por exemplo, instalar um webserver, banco de dados, entre outras coisas. Vale lembrar que essa situação não é uma unanimidade e que muitas empresas oferecem painéis de controle de fácil operação.

Custo

Por sua natureza flexível, os custos que envolvem uma cloud podem começar baixos, mas também podem evoluir para algo muito maior do que o planejado inicialmente, caso o uso dos recursos extrapolem o usual. Além disso, alguns recursos específicos podem ser cobrados separadamente e contribuir para o aumento do custo, como por exemplo a quantidade de dados transferidos para a nuvem e o espaço para armazenamento. É importante fazer um planejamento para tentar prever a quantidade de recursos que deverá ser alocada para sua aplicação. Se possível, comece com poucos recursos e tenha um plano para voltar atrás ou mudar de provedor, caso o custo se revele maior do que o esperado.

Outro ponto importante é identificar se o downgrade de recursos está disponível a qualquer momento. Isso ajudará a controlar gastos extras com recursos que só se fazem necessários eventualmente.

Dependência de sistemas específicos

Antes de contratar determinado serviço na nuvem, verifique a portabilidade dos sistemas. Existe algum software proprietário envolvido? Se desejar mudar de provedor, será possível migrar facilmente minha aplicação? Alguns provedores de serviço online disponibilizam serviços que não podem ser migrados ou possuem um alto custo para tal. Antes de contratá-lo, portanto, avalie essas questões.

Indisponibilidade

A disponibilidade de uma hospedagem cloud em geral é muito boa, perto de 100%. Isso se deve ao fato de que as aplicações não rodam em uma máquina específica, mas sim sobre uma máquina virtual que é composta por vários computadores reais. Isso torna o serviço em nuvem ideal para aplicações que dependem de alta disponibilidade.

No entanto, existe um outro aspecto que deve ser analisado, principalmente pelas empresas que desejam migrar sua infraestrutura de TI para a nuvem. Para acessar sua rede e sistemas internos, você dependerá primariamente de uma conexão com a internet. Portanto, se você tiver problemas com o fornecedor de internet e não possuir uma conexão de backup, os funcionários de sua empresa ficarão impedidos de trabalhar no sistema ou na rede até que a conexão retorne. Dependendo do tipo de serviço que você oferece, isso pode ser um problema sério. Como uma possível solução para contornar isso, vale considerar uma segundo provedor de internet, assim, mesmo que um caia, você terá a possibilidade de utilizar o segundo serviço para manter sua empresa ativa.

Suporte técnico

Gerenciar um sistema na nuvem pode ser complexo e você poderá precisar de suporte técnico em algum momento. Apesar das empresas estarem melhorando constantemente o serviço de atendimento ao cliente, e até aumentando o escopo do mesmo para atender demandas técnicas específicas, muitas empresas não oferecem suporte técnico para determinadas configurações da cloud. Além disso, o suporte pode não estar disponível em tempo real (telefone ou chat), deixando o cliente com poucas opções, como abrir um ticket ou procurar a solução para um problema urgente em um fórum.

Como a hospedagem cloud funciona

Para entender como funciona um cloud hosting, vamos voltar um pouco no tempo. Na década de 70, a IBM lançou um sistema operacional que era baseado em uma máquina virtual. Esse sistema virtual foi criado para permitir que diversas pessoas usassem simultaneamente um mesmo computador, que na época eram mainframes gigantescos, que ocupavam o andar inteiro de um prédio. Com uma máquina virtual dentro de um mainframe, cada usuário podia usar uma porção de memória, processamento e outros recursos, sem interferir no trabalho do colega.

Alguns anos mais tarde, na década de 90, surgiu um modelo de computação chamado de Grid Computing, no qual diversos computadores poderiam compartilhar seus recursos para realizar grandes cálculos e processamento de dados. Ao unir esses dois conceitos, máquina virtual e o grid computing, foi possível criar máquinas virtuais muito mais potentes do que os computadores individuais que compõem o sistema.

Surgimento do termo Cloud Computing

O termo cloud computing foi usado pela primeira vez na década de 90 para representar uma rede de servidores – de número e localização desconhecidos – que podem ser acessados pela internet e que tem a capacidade de realizar grandes cálculos (processamento de dados). Veja na imagem abaixo o conceito básico de computação em nuvem.

hospedagem cloud como funciona

Na prática, “a nuvem” é uma rede poderosa de computadores interligados e que funciona como um super computador. Sendo que o limite de sua capacidade de processamento é o limite do processamento de dados de todos os computadores juntos no datacenter em questão. Virtualmente neste supercomputador, podemos ter diversos outros computadores virtuais, cada uma com características específicas de processamento, memória, armazenamento e sistema operacional.

Por se tratarem de espaços virtuais, cada máquina virtual pode ter seus recursos expandidos ou reduzidos facilmente, sem que seja necessário desligar o computador para “colocar mais memória”, por exemplo, comparando com o que faríamos em um computador caseiro.

Para quem a hospedagem em nuvem é indicada

Apesar de ser um conceito interessante e que parece oferecer apenas vantagens, a hospedagem cloud não é indicada para todos.

Sites com tráfego baixo ou moderado e que não possuem picos de acesso, poderão facilmente ficar anos e anos em uma hospedagem compartilhada sem talvez nunca se deparar com problemas relacionados ao excesso de uso de recursos. Se você possui um site ou blog pessoal ou de um pequeno negócio, por exemplo, a hospedagem compartilhada certamente lhe servirá.

É importante, contudo, ficar atento ao desempenho do servidor que hospeda o seu site para identificar antecipadamente quando será necessário fazer um upgrade de hospedagem. Essa é uma necessidade comum em muitos casos. Se você possui um site/blog e trabalha produzindo conteúdo para uma audiência crescente, em algum momento da vida útil do seu blog você precisará fazer um upgrade de hospedagem para suportar sua crescente audiência. Nesse momento, a hospedagem cloud será bastante adequada.

Como escolher um serviço cloud

Antes de escolher o melhor plano de cloud, é importante entender os formatos no qual esse serviço pode ser contratado. Basicamente, temos no mercado três modelos distintos de serviço cloud. São eles:

SaaS (Software as a Service ou Software como serviço)

Neste modelo, determinada aplicação roda na nuvem e está disponível diretamente para seus usuários. Ela pode ser acessada através de um navegador web ou um aplicativo próprio. Podemos citar como exemplos de SaaS o Gmail, Hotmail, Dropbox, Facebook, Instagram e muitos outros.

PaaS (Platform as a Service ou Plataforma como serviço)

Este é o modelo no qual se encaixam as hospedagens de sites, blogs e lojas virtuais que estão na nuvem. Aqui, você está contratando a plataforma cloud como um serviço. Essa plataforma disponibilizará os recursos necessários para hospedar o seu site ou aplicação, como por exemplo servidores, bancos de dados e outros recursos. Praticando este modelo podemos citar as próprias empresas de hospedagem de sites que oferecem serviços de Cloud Hosting. O serviço é oferecido em plataformas específicas para atender à demanda dos desenvolvedores e pessoas que desejam hospedar um site.

IaaS (Infrastructure as a Service ou Infraestrutura como serviço)

Este é o modelo utilizado por equipes de TI e empresas que desejam virtualizar sua infraestrutura. Para contratar tal modalidade, você deverá configurar praticamente do zero os sistemas e aplicações que deseja utilizar, se aproveitando da infraestrutura fornecida para tal. Como exemplo desse tipo de serviço, podemo citar a cloud da Amazon (AWS), que oferece diversas modalidades de infraestrutura como serviço. A Amazon também oferece soluções do tipo PaaS e SaaS em seu portifólio.

Tendo esses conceitos em mente, você já terá condições de diferenciar o tipo de serviço que precisa contratar. A partir daí, o ideal é fazer um levantamento de requisitos sobre o tipo de aplicação que se pretende hospedar na nuvem e procurar planos em empresas que ofereçam as condições adequadas para publicar seu projeto.

Para exemplificar, se você pretende publicar um site WordPress ou uma loja virtual Magento, encontrará muitos serviços de hospedagem cloud que oferecem a instalação dessas aplicações de maneira simplificada, pelo próprio painel de controle da hospedagem. Sabendo disso, você poderia listar essas empresas e comparar diversos itens, como preço e recursos. Da mesma forma, se você é um administrador de sistemas e deseja configurar seu próprio servidor, bastando para isso ter acesso à nuvem via terminal, procure pelas empresas que disponibilizam acesso SSH aos servidores virtuais e faça a comparação de recursos.

Vale também avaliar outros aspectos do serviço, aplicáveis a qualquer hospedagem que se deseja contratar, como suporte técnico, política de cancelamento, reembolso e também a reputação da empresa que se deseja contratar.

Empresas que oferecem hospedagem Cloud

É cada vez maior o número de empresas que oferecem soluções baseadas na nuvem no Brasil e no mundo. O tipo de serviço oferecido pode variar bastante, pois, além dos modelos que mencionamos acima, as próprias empresas oferecem pacotes distintos em recursos e modelo de cobrança.

Para facilitar a comparação e escolha da hospedagem cloud mais adequada, criamos o comparativo melhor hospedagem cloud. Nele você poderá conhecer e comparar os detalhes de cada plano oferecido pelas empresas. Para acessá-lo, clique na imagem abaixo.

comparativo melhor hospedagem cloud 2016

Conclusão

A hospedagem cloud está se tornando cada vez mais popular, mas pode não ser indicada para todos. Se você possui um site simples, como um portfólio pessoal ou um site institucional, provavelmente poderá passar anos sem precisar de uma solução desse tipo. Por outro lado, cada vez mais pessoas estão descobrindo as vantagens de contar com uma solução de hospedagem em nuvem que pode ser facilmente expandida e contraída.

Mais do que uma tendência, a hospedagem cloud veio para resolver alguns dos (grandes) problemas que muitos administradores de site enfrentam quando o site começa a crescer ou ter grandes picos de tráfego.

Da mesma forma, empresas que migram sua estrutura de TI interna para a nuvem ganham a tranquilidade de não ter que se preocupar com manutenção de servidores e redes, além da mobilidade de poder acessar seus recursos de qualquer parte do mundo.

Se você possui qualquer dúvida sobre o assunto ou deseja acrescentar qualquer informação, deixe um comentário e vamos conversar! 🙂


2 Comentários

  1. Wende

    obrigado, perfeito informe sobre cloud.. aqui pude entender tudo sobre o cloud. Que me aconselha para um blog/site de duas linguas, dirigido para brasileiros e outros paises com espanhol ? vai ser melhor um cloud que tenha datacenter no brasil e argentina ( para espanhol ) ? geralmente os cloud hosting tem um mapa onde apresentam a localizacao desses datacenters, Os blogs vao ser novos, mas nao quero compartilhado por essa limitacao dos servers sobre geolocalizacao e seo. Vc que opiniao tem ??? muito obrigadooo !!!!

    Responder
    • Redação
      Equipe Tudo Sobre Hospedagem de Sites

      Olá, Wende!
      A localização geográfica do servidor já teve um peso grande no posicionamento de um site, mas isso não é tão relevante atualmente. Assim, é possível ter o seu site hospedado nos Estados Unidos ou outro país e ranquear bem no Brasil. Outros fatores podem ter um peso maior nessa questão, como por exemplo a extensão do domínio (ex.: .br, .ar, .cl…) e o próprio idioma. Além disso, com a utilização de uma CDN seu conteúdo pode ser distribuído por todo o mundo, o que praticamente elimina essa questão. Para saber mais sobre o assunto, veja o artigo “O que é CDN e por que devo usá-la em meu site“.
      Espero ter ajudado! Se tiver outras dúvidas, basta entrar em contato.
      Boa sorte!

      Responder

Deixe um comentário