5 situações em que o criador de sites não é indicado para você

Situações em que o criador de sites não é indicado

Você decidiu criar um site, e ao pesquisar um pouco, pensou que o criador de sites era uma ótima solução. Então se lembrou que há muitas ferramentas no mercado e sentiu aquela insegurança, que o impediu de ir em frente. Saiba que essa dúvida é muito normal e fazer a escolha certa é fundamental para evitar perda de tempo e decepções no futuro.

Apesar de ser uma ferramenta excelente e muito popular (eu mesma já recomendei em várias situações), o criador de sites não é indicado para todos. Há pelo menos 5 situações em que ele não é a melhor alternativa, nas quais você talvez se identifique.

Acompanhe o artigo e descubra quando o criador de sites não é indicado para você! 😉

1. Você quer ter liberdade de levar o seu site para qualquer lugar

Todo criador de site tem uma empresa por trás, que é dona da ferramenta que permite que você e milhões de usuários criem um site por conta própria.

Esse sistema é proprietário e por ele você paga uma mensalidade, que funciona como um aluguel da ferramenta. Como o seu site é criado dentro dessa plataforma, ele está “preso” nela, não sendo possível transferi-lo para outra empresa.

As razões para isso acontecer vão muito além da vontade da empresa, e envolvem questões ligadas à programação e funcionamento da plataforma. Como cada criador de site tem um editor próprio, um site criado em uma dessas plataformas dificilmente poderia funcionar em outra. E se funcionasse, provavelmente teria problemas de incompatibilidade.

Quando um usuário cria um site em uma ferramenta dessas e depois decide trocá-la, ele é obrigado a criar um site novo na outra plataforma. É aí que muitas pessoas descobrem essa desvantagem do criador de sites.

O que fazer ao trocar de plataforma

Mudar de plataforma é um processo trabalhoso, mas o usuário sempre poderá aproveitar os textos e as imagens para o novo site, e até mesmo reproduzir a estrutura do site na nova ferramenta. Olhando pelo lado positivo, é uma oportunidade de criar um site melhor do que a versão atual.

Só é preciso ter cuidado para não ficar com o site fora do ar, nem perder a indexação já feita pelo Google. Apontar o domínio para a nova ferramenta e manter as URLs do site (ou fazer redirecionamentos) já resolvem parte do problema.

Sendo assim, se você deseja criar um site e ir evoluindo com ele ao longo do tempo, analise bem as suas opções e escolha uma ferramenta que atenda às suas necessidades a longo prazo, para que não seja preciso mudar depois. Ou ainda, opte por uma ferramenta que te permita levar o site para onde quiser, como o WordPress (.org).

2. Você tem conhecimento em web design ou desenvolvimento

Se você é web designer, desenvolvedor ou entende um pouco de TI, provavelmente irá preferir construir o seu site direto no código ou usar uma ferramenta de código aberto como WordPress, Joomla e Drupal. Além de gratuitas, essas ferramentas são mais flexíveis e escaláveis.

Apesar dos criadores de sites serem opções interessantes, eles apresentam diversas limitações. Embora elas possam não incomodar um usuário leigo, costumam causar frustração em pessoas técnicas, acostumadas a mexer diretamente nos códigos e customizar o site como preferem.

Vale dizer, no entanto, que criar um site no WordPress é viável até para pessoas com pouco conhecimento técnico, mas dispostas a aprender. Aqui no site mesmo publicamos este tutorial que ensina a criar um site WordPress em poucos passos.

Sendo assim, se você é da área de web design, desenvolvimento ou tem familiaridade com o assunto, saiba que você tem muitas opções (até melhores) para criar o seu site.

3. SEO é um dos pilares da sua estratégia para ganhar audiência

Há muito tempo os criadores de sites têm fama de serem pouco amigáveis para os buscadores. E o fato é que realmente esta não parece ter sido a prioridade deles durante muitos anos. Porém, com a popularidade do SEO e a necessidade crescente dos sites estarem presentes em mecanismos de busca, as ferramentas começaram a investir nessa área e evoluíram significativamente nesse aspecto. Atualmente, os melhores criadores de sites oferecem ao menos o básico de SEO.

O que isso significa? Que você poderá personalizar algumas informações do site, como títulos, descrições de página e URLs, que então aparecerão nas páginas de resultado de busca do Google. O seu site provavelmente também terá URLs amigáveis (ex: www.site.com.br/quem-somos) e você ainda terá uma versão responsiva ou mobile do seu site, que te dará vantagem nas buscas realizadas por dispositivos móveis.

Ok, isso tudo é muito útil, mas é pouco quando falamos de SEO.

SEO profissional é outra história

Ao contrário do que alguns afirmam, fazer SEO de forma profissional é um trabalho árduo e de longo prazo. Sem dizer que envolve dezenas de aspectos internos e externos do seu site. Dentre eles, podemos citar o desempenho e a velocidade de carregamento do site, a relevância do seu conteúdo, a compatibilidade com dispositivos móveis e a autoridade do site, além de muitos outros.

Por outro lado, milhares de negócios online existem com base em tráfego orgânico, o que está diretamente ligado ao SEO. Portanto, se alcançar um grande volume de tráfego orgânico é uma premissa para o sucesso do seu site, realmente o criador de sites não é indicado para você.

Por mais que essas ferramentas tenham evoluído ao longo do tempo (e muito), elas ainda não estão otimizadas o suficiente para potencializar o seu SEO. E você tampouco tem acesso ao código para fazer as configurações necessárias.

Uma ferramenta amigável ajuda, mas não é tudo

Uma ferramenta bastante amigável para os mecanismos de busca é o WordPress. Sua estrutura é otimizada e na versão instalada (WordPress.org) é possível customizar quase qualquer aspecto do site, no sentido de torná-lo mais interessante para os buscadores.

Agora, é preciso saber que ter um site WordPress não fará com que ele apareça em primeiro lugar para uma determinada palavra. É preciso suar muito para chegar lá e a escolha da ferramenta é só o primeiro passo.

Como vimos, SEO profissional e criador de sites não combinam (ainda). Se o seu negócio online depende do seu crescimento orgânico e SEO é algo em que você quer investir pesado, escolha uma ferramenta que te permita configurar todos os componentes do seu site.

4. Você planeja criar um blog

É verdade que vários construtores possuem a funcionalidade de blog, mas sempre de forma limitada. Ter um blog nessa ferramenta pode valer a pena apenas quando você tem um site nesta plataforma e quer criar um espaço de novidades, sem compromisso de gerar tráfego orgânico. É apenas um lugar para os seus clientes, que já visitam o seu site, saberem de alguma novidade.

No entanto, se você deseja criar um blog profissional, há outras ferramentas muito mais interessantes. Embora pareça repetitivo, o WordPress (instalado) é a melhor opção neste caso, por sua flexibilidade, ainda que o Blogger seja uma ferramenta conhecida e até mais antiga que a primeira.

Assim como o Blogger, o WordPress foi criado como plataforma para blogs. Com o tempo, foi ganhando popularidade, até se tornar o gerenciador de conteúdo mais utilizado da internet. Atualmente, ele é usado por 28% de todos os sites do mundo.

5. Você planeja criar uma loja virtual

Há uma infinidade de maneiras de criar uma loja virtual, e na maioria das vezes o criador de sites não é indicado como a solução ideal. À exceção do Wix, que realmente oferece uma recurso de e-commerce adaptado para o Brasil, a maioria dos criadores de sites deixa a desejar nesse quesito.

Em alguns casos, não oferecer o e-commerce é uma escolha da ferramenta, o que faz sentido, já que uma loja virtual demanda uma série de recursos que não são usados em sites comuns. Em outros casos, o criador é de outro país e a loja não foi adaptada para funcionar no mercado brasileiro. Parece um detalhe, mas basta lembrarmos que boleto é um método de pagamento brasileiro, e que portanto, não é nativo de um e-commerce criado para os Estados Unidos.

Sendo assim, se o seu plano é montar um e-commerce, estude bem a ferramenta ou considere outras possibilidades, como as lojas virtuais prontas ou as plataformas open source, como Magento, OpenCart ou Prestashop. Elas foram criadas com esta finalidade, e por isso tendem a fazer um trabalho melhor nessa área. 🙂

Para quem o criador de sites é indicado então?

É verdade que o criador de sites não é indicado para todos, pois cada site tem características e necessidades próprias. Da mesma forma, o WordPress não é uma unanimidade, por melhor que ele seja.

No entanto, por incrível que pareça, o criador de sites é indicado para um grande número de pessoas. Não é a toa que o líder nesse segmento, Wix, já foi usado por mais de 100 milhões de usuários.

Vou citar abaixo algumas situações em que ele pode ser a solução ideal:

  • Para quem deseja criar um site institucional, pessoal ou de um negócio local;
  • Para quem quer criar o site por conta própria e não possui conhecimento técnico;
  • Para quem não quer depender de terceiros para criar e manter o seu site;
  • Para quem busca uma ferramenta fácil de usar e de manter. Em que não é preciso fazer atualizações de plugins, cuidar da segurança da plataforma, nem gerenciar hospedagem, pois tudo é feito pela empresa.

Se você se identificou com ao menos um dos pontos acima e optou pelo criador de sites, minha recomendação é que escolha bem a sua ferramenta. E antes de se comprometer com ela, aproveite para testá-la. Diversas ferramentas oferecem versão gratuita ou permitem testar gratuitamente por um período de até 15 dias, tempo suficiente para avaliar e conhecer a ferramenta.

E por falar em conhecer, confira nosso levantamento dos melhores criadores de sites do mercado! Lá você pode conhecer e comparar as ferramentas, recursos e preços, e então escolher e testar as mais interessantes para o seu site. 🙂

Por:

Profissional de marketing com mais de 10 anos de experiência na área digital e empreendedora no Tudo sobre Hospedagem de Sites. Apaixonada pelo universo digital, sonha com o dia em que qualquer pessoa poderá ter o seu site na internet.

Deixe um comentário