AWS: conheça o que é e os principais serviços de hospedagem em cloud da Amazon

AWS - Amazon web Services

Quem não conhece hoje a Amazon e o seu fundador, Jeff Bezos, está longe de saber como surgiu um dos maiores visionários da história da internet.

A empresa, criada em sua casa há mais de 23 anos, supera hoje o valor de 427 bilhões de dólares no mercado mundial.

Mas o que ela faz?

Parece irreal, mas a empresa vende praticamente tudo de A a Z online. E não é mentira. Desde livros a roupas, eletrônicos, artigos para casa, assinatura de vídeos e infraestrutura de computação em nuvem. Esta é a sua proposta de valor principal.

A história da empresa começou muito antes, em 1994, quando Bezos, na época com 30 anos de idade, abandonou o cargo de vice-presidente de uma companhia financeira de Wall Street para mudar-se com sua mulher para Seattle.

Bezos tinha acabado de realizar um curso sobre como ser dono de uma livraria. E, ao contrário de seus colegas, imaginou em como fazer isso vendendo pela internet.

No entanto, isto não fazia muito sentido para a realidade da época: a internet só era utilizada por um grupo seleto de 15 milhões de pessoas no mundo inteiro. Mesmo assim, Bezos percebeu que estava diante de uma oportunidade de ouro.

Abriu a sede da empresa em uma casa e a garagem serviu de escritório. Lançou a loja online, apresentando-se como a primeira loja virtual de livros do mundo e, graças a descontos muito interessantes, a empresa conseguiu ganhar mercado.

Como a Amazon construiu a AWS

De lá para cá, muita coisa mudou.

No entanto, o que nos interessa neste post é o que aconteceu em 2006: a empresa resolveu fundar a AWS (Amazon Web Services), o braço de infraestrutura de computação em nuvem da empresa.

O que ninguém sabe é que a empresa pouco antes disso era um e-commerce com grandes problemas de escalabilidade.

Como qualquer empresa que vende pela internet, a Amazon tinha grandes picos de acesso sazonais em datas comemorativas como Natal, Dia dos Pais e a Black Friday nos EUA. Assim, a empresa se viu obrigada a investir bastante em infraestrutura tecnológica, construindo data centers para suportar o tráfego desses acessos.

E foi exatamente por causa destas necessidades que a empresa se forçou a criar algo mais sólido como sistemas que lidassem com a alta possibilidade de escalar e controlassem esses conjuntos de máquinas.

A sacada fenomenal da empresa foi justamente perceber que o que era um problema de escalabilidade para eles poderia ser comum para as outras empresas e, assim, comercializar a solução. Isto foi o principal motivo da criação do que conhecemos hoje como Amazon Web Services (AWS).

Mas o que é a tal AWS?

Se você se deparou com este post sem saber o que é este serviço da Amazon, siga sem problemas. Vamos explicar.

Como diz no próprio site da Amazon, a Amazon Web Services (AWS) é uma plataforma de serviços em nuvem segura, oferecendo poder computacional, armazenamento de banco de dados, distribuição de conteúdo e outras funcionalidades para ajudar as empresas em seu dimensionamento e crescimento.

Ou seja: infraestrutura para suas aplicações, sites e tudo o que uma empresa necessita para crescer de forma escalável no mundo online.

Hoje a AWS conta com mais de 2000 serviços em seu catálogo.

Aliás, existe uma curiosidade interessante neste meio tempo. A Amazon conseguiu atingir um recorde em faturamento, assim como um atleta que consegue uma marca inédita no Guiness Book: este braço da empresa é reconhecido como o serviço que mais cresceu na história da indústria. Em somente um ano, a empresa conseguiu aumentar 58% da receita passando de 3,1 bilhões de dólares para 5 bilhões! Um crescimento sem precedentes.

No entanto, no Brasil, a empresa chegou devagarinho. Em 2012, só vendia livros eletrônicos. Dois anos depois, foi para livros físicos. E agora neste ano é que há a perspectiva de a empresa lançar um marketplace nos mesmos moldes do que tem nos Estados Unidos.

Hospedagem em cloud x Hospedagem tradicional

Se fala muito hoje de cloud computing, ou computação na nuvem, esta que é utilizada por todos serviços na AWS, mas sem saber qual é a diferença com uma hospedagem tradicional.

Bem, vamos à um caso prático.

Vamos imaginar que você tem um site em um servidor que não é na nuvem. Um servidor de hospedagem tradicional. O que você geralmente vai receber é o seguinte:

  • Custo fixo por utilização de recursos de computador compartilhado com outros clientes ou um recurso único (VPS).
  • Se a performance de uma máquina estourar em um pico de acesso, ou você adquire mais uma e divide o balanceamento de carga, ou contrata um novo servidor com mais recursos computacionais para aguentar a performance.
  • Assim que baixar o pico de acesso, no entanto, você vai continuar pagando o valor como se estivesse exigindo alta performance.
  • Se receber um pico de acesso inesperado, você pode ter o seu site, software, blog ou e-commerce fora do ar.

Este problema comum é resolvido pela forma na qual a computação em nuvem funciona. Basicamente o que se propõe é pagar pelo que se usa.

Então imagine que você decidiu abandonar uma hospedagem tradicional e ir para um serviço de cloud. O que você receberia:

  • Custo variável por utilização de recursos computacionais. Ou seja, paga só pelo que você realmente usou do servidor.
  • Contratação automática de mais performance se houver picos de tráfego, permitindo manter seu site, software, blog ou e-commerce no ar.
  • Otimização de recursos computacionais, não pagando por recursos ociosos.

Bem, vamos fazer uma comparação entre elas com os seguintes parâmetros: preço, forma de pagamento, disponibilidade, serviço, suporte, aplicabilidade e usabilidade.

Hospedagem tradicional:

Preço: Fixo.
Forma de pagamento: Varia entre boleto, cartão e transferência.
Disponibilidade: Até os recursos computacionais contratados suportarem.
Serviço: Hospedagem de sites, blogs, e-commerce, softwares, aplicativos, etc.
Suporte: Online, telefone e e-mail.
Aplicabilidade: Mais recomendável para sites, blogs, e-commerce, softwares e apps com pouca variação de tráfego mensal.
Usabilidade: mais intuitiva.

Hospedagem na nuvem:

Preço: Variável em relação ao uso.
Forma de pagamento: Em geral, cartão de crédito.
Disponibilidade: Até os seus recursos financeiros suportarem.
Serviço: Hospedagem de sites, blogs, e-commerce, softwares, aplicativos, etc.
Suporte: Em geral, somente online.
Aplicabilidade: Mais recomendável para sites, blogs, e-commerce, softwares e apps com alta variação de tráfego mensal.
Usabilidade: mais complexo.

Revolução no mercado

O cloud computing representa uma revolução no modelo de disponibilização de recursos computacionais pois, até antes ser criado, você somente contava com recursos físicos sem elasticidade.

Ou seja: caso contratasse um computador para deixar um aplicativo ou site rodando, se este utilizasse só metade dos recursos, a outra metade ficaria ociosa.

O que não acontece com o modelo de cloud. Neste você só paga pelo que usa da “computação em nuvem”. E quando ocorre esta disponibilidade ociosa de computação, ela é redirecionada para outros serviços.

Isto representa uma disruptura de mercado.

Recentemente o próprio presidente e diretor jurídico da Microsoft, Brad Smith, relatou que todos os próximos grandes avanços do mundo “que desencadeiam a Quarta Revolução Industrial, serão suportados pela nuvem”.

Mas então como de fato funciona a computação em nuvem?

Exemplificando, em termos gerais, contratar uma hospedagem cloud é como se você tivesse em mãos uma super máquina: recursos computacionais ilimitados até quanto seu cartão de crédito suportar. Basicamente são milhares de servidores interligados que têm uma inteligência artificial para direcionar e compartilhar serviços ociosos de cada máquina.

Principais serviços da AWS

A AWS, entre seus milhares de serviços, organiza boa parte em dois principais “guarda-chuvas”: os Foundation Services (Serviços Fundamentais) e Platform Services (Serviços de Plataforma).

Os Foundation Services são todos aqueles serviços computacionais, de armazenamento, base de dados e de rede. Estão entre eles, o famoso EC2 (servidores virtuais na nuvem) e o S3 (armazenamento de dados como imagens, vídeos, arquivos e outros na nuvem).

Já os Platform Services entram em um nível mais sofisticado de computação e, talvez, não seja seu foco inicialmente como: distribuição de conteúdo, mensageria, processamento paralelo e bibliotecas.

Tudo isso você consegue administrar por uma plataforma única de gerenciamento: o console de administração da Amazon.

É para mim?

A utilização dos serviços da Amazon é para todas aquelas pessoas que já têm um site, blog, e-commerce ou software e que sofrem com altos picos de tráfego, necessitando escalabilidade a um custo mais atrativo. Além disso, serve para quem está querendo lançar alguma solução digital que tenha previsto um alto volume de tráfego.

Caso você não se encaixe neste perfil, não recomendamos, neste estágio do seu negócio, investir tempo de aprendizado na plataforma. A contratação e manutenção destes serviços exigem um conhecimento técnico avançado e provavelmente um profissional qualificado para dedicar-se a isto.

Vantagens x Desvantagens

VantagensDesvantagens
Alta escalabilidade por um preço atrativoNecessidade de conhecimento técnico para configuração
Alta disponibilidade de serviços em qualquer região do mundoSomente cartão de crédito como forma de pagamento
Self-servicePoucos tutoriais intuitivos em português
Pague somente pelo que usarSuporte online somente em inglês
SegurançaMaior curva de aprendizado
Inúmeros serviços 

Soluções na prática

Para você, que tem um site, blog ou e-commerce no ar, o que poderia utilizar no dia-dia dos serviços da AWS para diminuir seus custos com hospedagem?

Uma das soluções bem interessantes é utilizar o armazenamento de arquivos. Como comentado anteriormente, a Amazon disponibiliza o serviço da S3, que permite subir imagens, vídeos e arquivos para a nuvem. Isto evita “lotar” o armazenamento do servidor onde está o seu site e torna o custo bem mais em conta para guardar milhares de arquivos em um só único lugar.

Existem outras estratégias também, como disponibilizar os arquivos de CSS e Javascript de seu site em uma CDN (Content Delivery Network) para aumentar a performance do site para os seus usuários. Este serviço na Amazon chama-se CloudFront.

Mitos

No mercado, existem alguns mitos que vangloriam uma solução web só por estar na AWS, sem analisar o contexto. São alguns deles:

  • “Só por estar na Amazon minha aplicação vai ser escalável“. Isto não é verdade. A escalabilidade também depende da aplicação e a forma como utiliza os recursos computacionais. Além disso, é necessário a correta configuração do ambiente para permitir automatizar a expansão dos serviços quando for preciso.
  • “O custo é tão baixo que não preciso gerenciar”. Pelo contrário. Na hospedagem tradicional, você já sabe quanto irá pagar. Na Amazon, não. Portanto precisa gerenciar corretamente e saber quais são os gargalos de performance para não pagar além do necessário.
  • “Consigo configurar tudo sozinho”. Como dito anteriormente, apesar de ser uma plataforma self-service, ou seja, que permite que você mesmo configure a solução, ela não é tão amigável. Antes de iniciar algum serviço, converse com um especialista e verifique se você está trabalhando corretamente. Vale pedir uma segunda opinião.

Cases de grandes empresas que utilizam a AWS

Existem milhares de empresas que utilizam o serviço da Amazon sem mesmo nos darmos conta: Trello, Netflix, Slack, Coursera, EasyTaxi, Gol Linhas Aéreas, GuiaBolso, Kekanto, Nubank. A lista realmente é impressionante. Isto mostra o quanto a plataforma é sólida, tanto em crescimento, quanto em qualidade.

Conclusão

Neste post apresentamos o que é a AWS, um pouco da sua história e os principais serviços de infraestrutura web disponibilizados pela gigante do e-commerce mundial. Além disso, avaliamos alguns benefícios e desvantagens conjuntamente com você.

Esperamos ter esclarecido para que usar os serviços da Amazon. Se gostou do nosso post e do assunto, compartilhe com os amigos! Se ficou com dúvidas, deixe um comentário que teremos prazer em ajudá-lo!


Netzei logotipoA Netzei é a primeira agência brasileira 100% digital focada em produzir sites estáticos que funcionam dinamicamente para alavancar micro e pequenas empresas. Conheça.

Por:

Thiago Verney é desenvolvedor web, jornalista e empreendedor na Netzei, empresa de tecnologia especializada em soluções digitais escaláveis para alavancar micro e pequenas empresas no Brasil de forma interativa e inovadora.

Deixe um comentário